Anais do WPCCG
Volume 2, 2017

ISSN: 2526-1371

Prefácio

Este volume contém os artigos apresentados no WPCCG 2017: II Workshop de Pesquisa em Computação dos Campos Gerais, ocorrido nos dias 04 e 05 de outubro de 2017, na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Ponta Grossa - Paraná, Brasil.

O Workshop de Pesquisa em Computação dos Campos Gerais é um evento criado para divulgar pesquisas em desenvolvimento ou concluídas de alunos e docentes de Instituições de Ensino Superior. Organizado por docentes do DAINF (Departamento Acadêmico de Informática) do Câmpus Ponta Grossa da UTFPR, o evento está em sua segunda edição.

Ao todo, o WPCCG'2017 teve 26 submissões. Cada submissão foi avaliada por, ao menos, três revisores das àreas da Computação. Dos artigos submetidos, 18 foram aceitos para apresentação e publicação neste volume.

O comitê de programa teve participação de docentes e pesquisadores dos diversos câmpus da UTFPR e de outras Instituições, como CEFET-RJ, FURG, IFRS, INMetro, Itaipu Binacional, PUC-PR, PUC-RS, Télécom Paris Tech, UERJ, UFF, UFFS, UFG, UFLA, UFPel, UFPR e UFRRJ.

O gerenciamento de toda conferência foi feito por meio do sistema EasyChair.

18 de outubro de 2017
Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Gleifer Vaz Alves
Sheila Morais de Almeida
André Pinz Borges

Comitê de Programa

Alexandre Dos Santos Pacheco, ITAIPU
André Luiz Pires Guedes, UFPR - Universidade Federal do Paraná
André Pinz Borges, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
André Roberto Ortoncelli, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Dois Vizinhos
André Vignatti, UFPR - Universidade Federal do Paraná
Augusto Foronda, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Carlos Eduardo, CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
Claudio Leones Bazzi, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Medianeira
Clayton Kossoski, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Dênis Lucas Silva, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Santa Helena
Diana Adamatti, FURG - Universidade Federal do Rio Grande
Eleandro Maschio, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Guarapuava
Erikson Freitas de Morais, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Evandro Miguel Kuszera, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Dois Vizinhos
Fabiano Oliveira, UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Fernanda Couto, UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Flávia Haddad, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Cornélio Procópio
Gabriel Sobral, UFPR - Universidade Federal do Paraná
Gleifer Vaz Alves, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Graçaliz Dimuro, FURG - Universidade Federal do Rio Grande
Hebert Coelho, UFG - Universidade Federal de Goiás
Heitor Gomes, PUC-PR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná/ TPT - Télécom ParisTech
Ionildo José Sanches, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Jean-Paul Barddal, PUC-PR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Leandro Zatesko, UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul
Leyza Dorini, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Curitiba
Luciana Foss, UFPel - Universidade Federal de Pelotas
Luciene Marin, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Pato Branco
Lucio Rocha, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Dois Vizinhos
Luerbio Faria, UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Luís Felipe Ignácio Cunha, UFF - Universidade Federal Fluminense
Luiz Carlos Pessoa Albini, UFPR - Universidade Federal do Paraná
Luiz Gomes-Jr, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Curitiba
Márcia Cappelle, UFG - Universidade Federal de Goiás
Marilton Sanchotene de Aguiar, UFPel - Universidade Federal de Pelotas
Marina Groshaus, UFPR - Universidade Federal do Paraná/ Universidad de Buenos Aires
Mauren Louise Sguario, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Nádia Puchalski Kozievitch, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Curitiba
Neumar Malheiros, UFLA - Universidade Federal de Lavras
Osmar Dordal, PUC-PR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Pedro Luiz de Paula, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Medianeira
Rafael H. Bordini, PUC-RS - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Raphael Machado, Inmetro - Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia
Raquel Barbosa, IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Rio Grande
Raquel Bravo, UFF - Universidade Federal Fluminense
Renato Carmo, UFPR - Universidade Federal do Paraná
Richard Ribeiro, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Richardson Ribeiro, UFPR - Universidade Federal do Paraná
Samuel Bellido Rodrigues, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Medianeira
Sarah Sakamoto, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Sediane Lunardi, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Guarapuava
Sheila Morais de Almeida, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Simone Aires, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Simone Costa, UFPel - Universidade Federal de Pelotas
Simone de Almeida, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
Simone Nasser, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa
William Alberto Cruz Castañeda, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Guarapuava

Sumário

As cloud services are becoming an alternative for IT infrastructures in many organizations, data privacy guarantees become a priority. This paper presents the development of a secure database system using Intel’s SGX trusted platform. SGX provides hardware-based processing privacy offering protection for a wide range of sophisticated attacks. We propose a modular, multi-service architecture that is well suited to the advantages and limitations of the SGX platform. This paper focuses on the ongoing implementation of our SQL translation service.

Palavras-chave: secure databases, cloud, SGX.

Estatísticas demonstram a abrangência do número de acidentes envolvendo pedestres. Uma forma de minimizar esses indicadores é através do uso de funções de auxílio ao condutor. Para tal fim uma das possibilidades consiste em utilizar informações de temperatura e coordenadas tridimensionais da rodovia para identificação dos pedestres. No presente trabalho propõe-se uma metodologia capaz de construir um mapa de profundidade utilizando câmeras térmicas organizadas em um par estéreo, o qual indica as distâncias dos pontos observados. Além de outras utilidades, o mapa de profundidade térmico (MPT) representa uma ferramenta importante para sistemas de auxílio ao motorista.

Palavras-chave: estereoscopia, termografia, detecção de pedestres, visão computacional.

Um modelo bipartido de intervalos é uma bipartição de um número finito de intervalos na reta real. Um grafo de biintervalos é um grafo de intersecção de um modelo bipartido de intervalos onde cada vértice corresponde a um intervalo e dois vértices compartilham uma aresta se, e somente se, ambos intervalos correspondentes possuem intersecção e não pertencem à mesma parte. Uma biclique de um grafo é um subconjunto de vértices que induz um subgrafo bipartido completo. Este artigo apresenta um algoritmo de varredura para encontrar todas bicliques maximais de um grafo de biintervalos a partir de seu modelo bipartido de intervalos e propõe uma modificação para grafos bi-arco-circulares.

Palavras-chave: bicliques, grafos de bi-intervalos, grafos bi-arco-circulares.

Os veículos autônomos são uma revolução para a indústria automotiva e estão cada vez mais próximos da realidade. A área de veículos autônomos só tende a crescer nos próximos anos e vem para modificar e ampliar a estrutura da sociedade em termos de como os veículos são utilizados e como são as interações com os usuários. O desenvolvimento requer a junção de diversas áreas, uma delas é a de agentes inteligentes. Existem diversas formas de se implementar um agente inteligente, uma delas é o framework chamado JaCaMo. E para que o agente consiga atuar será utilizado um ambiente gráfico, para esse fim o Simbad é utilizado, um simulador que permite a construção de ambientes. O ambiente definido para esse trabalho possui somente obstáculos estáticos, que estão definidos dentro de faixas, e o agente transita entre as faixas para desviar desses obstáculos. O simulador é responsável por fornecer as informações ao agente, de forma que esse seja capaz de controlar a sua representação dentro do simulador. Para que as informações fossem trocadas, um protocolo de comunicação foi definido, e permite que o agente receba informações sobre o ambiente e envie as ações que devem ser realizadas ao simulador.

Palavras-chave: agentes inteligentes, veículos autônomos, simulação, protocolo de comunicação.

O gerenciamento de um Estacionamento Inteligente requer o acesso a várias informações, como quantidade de vagas e motoristas, tempo de permanência no estacionamento, dentre outras. Neste contexto, para um satisfatório gerenciamento do Estacionamento é necessária uma interface gráfica que apresente tais informações de maneira clara. Este trabalho apresenta a avaliação de usabilidade da interface gráfica de um Estacionamento Inteligente, por meio do framework DECIDE, a fim de tornar a interação com o usuário mais efetiva.

Palavras-chave: interação humano-computador, avaliação de usabilidade, cidade inteligente, estacionamento inteligente, sistema multiagentes.

Os veículos autônomos (VA’s) são uma nova tecnologia que pode se tornar realidade num futuro próximo. Esta tecnologia ainda gera preocupação para muitos, já que é difícil demonstrar o quão seguros e confiáveis esses veículos podem ser. Por esse motivo, é necessário desenvolver formas de assegurar o comportamento correto de tais veículos antes de permitir seu uso nas cidades. Considerando que um VA pode ser modelado por meio de um agente racional, é possível utilizar os operadores da lógica temporal-deôntica para especificar propriedades de comportamento do agente responsável pelo controle de alto nível do VA. Neste trabalho é discutida a aplicação da lógica temporal-deôntica para representar o comportamento de um agente racional em alguns cenários próprios de um VA.

Palavras-chave: lógica temporal-deôntica, agentes, veículos autônomos.

Este artigo apresenta um sistema de controle de frequência de de estagiários desenvolvido no CEFET/RJ de Nova Friburgo. A necessidade de se construir tal sistema surgiu devido à necessidade dos supervisores contabilizarem as horas frequentadas pelos estagiários; à falta de um sistema automatizado para contabilização; e restrições de custo existentes na implantação de solusões existentes. O sistema proposto utiliza RFID para identificar de forma única os estagiários; e um circuito composto por Arduinos Uno e Nano cujas responsabilidades são processar os dados de entrada e saída de estagiários através do RFID e enviá-los através da rede para registro em um servidor web. Os dados de cada usuário podem ser então conferidos por qualquer usuário ou supervisor com acesso à internet. Comparado com soluções existentes, o sistema proposto mostrou-se na mesma faixa de preço ou menor, além de possuir o diferencial de ser acessível pela internet.

Palavras-chave: Arduino, sistemas web, RFID.

Este trabalho tem como objetivo a transferência de agentes cognitivos entre sistemas multi-agentes distintos programados em Jason, levando em consideração a relação estabelecida entre o SMA de destino e o agente, através de protocolos. Os protocolos são baseados em conceitos oriundos da biologia, mais precisamente da área de relções ecológicas. Este trabalho, terá foco no protocolo Predador, que é um protocolo onde os agentes têm como principal objetivo a preservação do conhecimento e dados cruciais, como em uma missão, o hardware onde está situado o agente líder é atingido e seus conhecimentos são chave para o sucesso da missão, então o mesmo se auto transfere para outro hardware,assim preservando a integridade de seus conhecimentos. A proposta de implementação será feita estendendo as características de um agente padrão do framework Jason para criar um agente móvel, e para fazer a conexão entre os diferentes SMAs, será utilizado o middleware ContextNet. Testes preliminares foram realizados visando fazer o estudo de viabilidade do trabalho, por exemplo, enviando o código fonte de um agente cognitivo em Jason utilizando o ContextNet.

Palavras-chave: agentes móveis, SMA aberto, ambiente aberto.

O desenvolvimento basea do em linha de produto permite a identificação das similaridades e variabilidades entre determinados sistemas de maneira que se torne possível construir aplicações com uma arquitetura. Este trabalho propõe a modelagem de um subsistema de administração imobiliário baseado em Linha de Produto de Software (LPS). Neste contexto são apresentadas as vantagens e desvantagens de utilizar tal abordagem. Para modelar o sistema, realizou-se uma análise dos métodos baseados em LPS a fim de utilizar àquele que melhor se adequa ao contexto do presente trabalho. Os métodos analisados foram: Product Line UML-Based Software Engineering, Family-Oriented Abstraction, Specification and Translation, Feature Oriented Domain Analysis e Delazeri e Wolf, sendo este último o escolhido para a realização da modelagem. Com o modelo proposto, o desenvolvedor possui uma arquitetura flexível a qual pode ser reutilizada e/ou estendida para um novo sistema de mesmo domínio.

Palavras-chave: linhas de produto de software, UML components, sistema imobiliário.

Através de dados disponíveis na internet, este trabalho constrói e analisa redes sociais baseadas nas relações entre atrizes e atores de filmes brasileiros. O estudo investiga empiricamente propriedades estatísticas de tais redes. A análise usa teoria dos grafos para mostrar diferenças quanto à presença de atores e atrizes nos filmes brasileiros ao longo das últimas cinco décadas. Verificamos que as diferenças entre homens e mulheres s˜ao evidentes, onde as atrizes aparecem sempre em menor quantidade. Isso foi observado e comparado com os números do cinema norueguês, que é referência internacional em igualdade de gênero. Com isso, constatamos que o cinema brasileiro é equiparável ao cinema norueguês considerando a igualdade de gênero.

Palavras-chave: gêneros, redes sociais, cinema brasileiro.

Este artigo descreve a importância de obter a profundidade de imagens na área de visão computacional. A partir de imagens capturadas através de um par estéreo, cálculos podem ser realizados para estimar a profundidade de objetos na imagem. Para tal, um passo essencial é a estimação da disparidade, que é a mudança de posição de objetos, dado um par de imagens capturadas de perspectivas diferentes. No entanto, para a disparidade ser estimada, dois problemas básicos devem ser resolvidos. O primeiro é com relação a correspondência, que é o processo de encontrar os pixels correspondentes da primeira imagem, na segunda. O segundo problema, conhecido como Reconstrução, é a percepção de profundidade obtida ao computar a diferença de posição dos objetos correspondentes nas duas imagens. Uma solução para o primeiro problema é apresentada neste estudo em desenvolvimento, através da abordagem por janela.

Palavras-chave: mapa de disparidade, par estéreo; calibração de câmeras.

A proper edge coloring of a graph G is an assignment of colors to the edges of G so that the colors of any two adjacent edges are distinct. Given a graph G with a proper edge coloring, the set of colors of a vertex v is the set of colors assigned to the edges incident to v. Two vertices are distinguishable if their sets of colors are distinct. An adjacent vertex distinguishing (AVD) edge coloring of G is a proper edge coloring such that every two adjacent vertices are distinguishable. The minimum number of colors to an AVD edge coloring of a graph G is the AVD chromatic index. There are partial results on the AVD chromatic index for the classes of split-indifference graphs and complete split graphs. In this paper we present the AVD chromatic index for the remaining graphs in these classes.

Palavras-chave: adjacent distinguishing edge coloring, split graph, indifference graph.

Dado um grafo G, uma coloração de arestas de G é uma atribuição de cores para as arestas de G. Uma coloração de arestas é própria se arestas adjacentes têm cores distintas. Uma coloração arco-íris de um grafo conexo G é uma coloração de arestas, não necessariamente própria, tal que entre qualquer par de vértices de G existe um caminho cujas cores das arestas são duas a duas distintas. O número de conexão arco-íris de um grafo G, denotado por rc(G), é o menor número de cores necessárias para se obter uma coloração arco-íris de G. Um grafo G é arco-íris crítico se a remoção de qualquer aresta de G aumenta o seu número de conexão arco-íris. Neste trabalho mostramos que o produto cartesiano Pm × Pn é arco-íris crítico se, e somente se, é um caminho Pn, n > 1, ou um C4. Também mostramos que os produtos cartesianos Cm × Pn não são arco-íris críticos quando m é par e n > 1.

Palavras-chave: coloração arco-íris, produto cartesiano, grafos arco-íris críticos.

Uma coloração total própria de um grafo é uma atribuição de cores para seus vértices e arestas de forma que elementos adjacentes recebam cores distintas. Dada uma coloração total própria em um grafo G, C(v) é o conjunto de cores de um vértice v, composto pelas cores das arestas que incidem em v e pela a cor do próprio v. Uma coloração total distinta na vizinhança é uma coloração total própria em que C(u) ≠ C(v) para todo par de vértices adjacentes u e v. O Problema da Coloração Total Distinta na Vizinhança consiste em determinar o menor número de cores necessárias para se obter uma coloração total distinta na vizinhança de um grafo. Este trabalho apresenta a solução do Problema da Coloração Total Distinta na Vizinhança para as potências de caminhos Pnk com n > 2k + 1.

Palavras-chave: coloração total distinta na vizinhança, grafos indiferença, potências de caminhos.

Uma coloração total de um grafo G consiste na atribuição de cores para os vértices e para as arestas de G de forma que elementos adjacentes recebam cores distintas. O conjunto de cores de um vértice u é composto pela cor do vértice u e pelas cores das arestas que incidem em u. Uma coloração total distinta na vizinhança é em uma coloração total onde vértices adjacentes possuem conjuntos de cores distintos. O Problema da Coloração Total Distinta na Vizinhança consiste em determinar o menor número de cores para se obter uma coloração total distinta na vizinhança para um dado grafo. Neste trabalho, resolvemos o Problema da Coloração Total Distinta na Vizinhança para os grafos 4-partidos completos que possuem vértices adjacentes de grau máximo. Quando o grafo 4-partido completo n˜ao possui vértices adjacentes de grau máximo, apresentamos um limitante superior que difere do ótimo em no máximo um.

Palavras-chave: 4-partidos completos; coloração total distinta na vizinhança, grafos multipartidos completos.

Neste artigo é descrito um método de caracterização do padrão de comportamento de um recurso computacional utilizando o algoritmo de clusterização k-means. Através da coleta dos dados de utilização dos componentes internos de um recurso por uma janela de tempo, um elemento denominado Assinatura Comportamental é criado, o qual neste artigo é gerado através da análise do cluster executada pelo algoritmo k-means. O referido modelo, que ainda é um trabalho em andamento, apresenta uma abordagem diferenciada de outros modelos onde outros algoritmos são aplicados no seu lugar ou além do próprio algoritmo são utilizadas técnicas complementares em conjunto. A expectativa é criar um formato mais simples e leve, que passe por uma única etapa de processamento, diferente de outros métodos que necessitam de duas ou mais para se determinar a Assinatura Comportamental.

Palavras-chave: k-means, clusterização, detecção de anomalias, padrões de comportamento, assinatura comportamental.

Este artigo propõe uma análise de métricas de similaridade para o algoritmo k-NN, a ser usado na etapa de recuperação de casos no problema de condução de trens de carga. A condução de trens é uma tarefa complexa que exige experiência e conhecimento das ações a serem executadas para uma viagem econômica. O conhecimento pode ser obtido de históricos de viagens armazenadas e reutilizadas no formato de experiências passadas (casos). Para tal, pode-se utilizar a técnica de Raciocínio Baseado em Casos (RBC), onde uma das etapas é a recuperação destas experiências. Na recuperação, métricas são usadas para avaliar qual dos casos passados mais se assemelham ao problema atual. Este artigo efetua uma análise de diferentes métricas de recuperação k-NN que podem ser usadas na etapa de recuperação. Dentre elas, a Distância de Minkowski mostrou-se eficiente para o problema estudado.

Palavras-chave: raciocínio baseado em casos, k-NN, condução de trens.

We bring new insights on a recent conjecture on edge-colouring. The conjecture states that if G is the disjoint join of two graphs with same order and same maximum degree such that the vertices of maximum degree of one of them induce an acyclic graph, then G is Δ(G)-edge-colourable. We present a polynomial-time heuristic for Δ(G)-edge-colouring such graphs. Our algorithm may fail in a specific case, and we conjecture that it is always possible to handle this case.

Palavras-chave: edge-colouring, join graphs, recolouring procedures.

Contato

Workshop de Pesquisa em Computação dos Campos Gerais
Departamento Acadêmico de Informática
Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Av. Monteiro Lobato, s/n - km 04
CEP 84016-210 - Ponta Grossa - PR - Brasil

Telefone: (42) 3220-4827
E-mail: contato@wpccg.pro.br
Website: http://wpccg.pro.br